Utopia… [Parte 3/4]

-Não são como eu sempre imaginei… São melhores..
Enquanto ele revesava entre mãos e boca nos meus seios, eu tentava abrir sua calça buscando libertar o volume que ja denunciava o tesão eminente oriundo do nosso encontro…
De repente nossos olhos se encontraram novamente…
[A partir daqui Ácid_Angel escrevendo…]

…Nossos olhos se encontraram em um total silêncio… Tudo o que eu (T.A.D.) via era uma anja sem asas me encarando com uma carinha de diaba sedenta… A porta da garagem se fechara lentamente, enquanto a boca de minha anja já estava chegando em minha calça… Minha respiração estava rápida. A dela? Nem sei… Não via nada. Sentia apenas a calmaria que antecede um temporal.

E o temporal veio em trovoadas. O tempo, lá fora, estava escuro e começava a chover forte – como as fortes chuvas do entardecer de Pará, com grossas gotas que nos encharcam em segundos. Dentro da garagem um calor por dentro do corpo coberto por um frio que tornava impossível distinguir se o ouriçar do seio era simplesmente tesão… Mas tudo era uma mistura de sabores que só deixava o conjunto mais teso e delicioso.

Detalhes se vão. O conteúdo era o que importava. Detalhes só vamos nos lembrar antes de dormir, nas noites onde nos voltam apenas as lembranças…

E junto com o temporal veio uma mamada inesquecível, que só minha escritora preferida pôde me proporcionar. Um gemido misturado com umas quase engasgadas, me faziam sentir as extremidades da garganta dela com uma maestria nunca antes sentida por meu pau.

– Está gostoso, TAD?
– Não. Delicioso.
– Quer ver o que mais eu sei fazer?
– Agora.
– Vem…

A segui até a sala da casa. A sem vergonha entrou em casa se despindo… Eu fui refazendo seu gesto, a encarando seriamente com essa minha cara de vagabundo. Sem esboçar um sorriso sequer.

Ela fez um sinal pra eu parar e caminhou de costas até uma estante. Eu visualizava aquela bucetinha raspada… Totalmente lisa…

Ela virou de costas pra mim e se esticou toda pra alcançar um jarro de flores. De dentro do jarro, tirou um case… De dentro do case, um vibrador de uns 25cm aproximadamente.

– Vou ter concorrente?
– Nunca. Mas não gosto de ficar com buraco nenhum desocupado.

Colocou um joelho sobre o braço do sofá, uma mão sobre o encosto dele, melou o brinquedinho na buceta e o atochou no cuzinho… Fui chegando com pressa, segurei em sua cintura antes mesmo de ela completar a frase:

– Eu disse que não gosto de ficar com bu-u-u-uuuuuhraco nenhum desoo-oh… oh… ocupado… METE MAIS FORTE… MAIS FORTE… VAAAAAI…

Comecei a fazer minha parte enquanto minha cadela estava ali, com o rabo erguido e tomando varada minha e do seu consolo… Insaciável como só ela…

******************************************************

Galera… Detesto contos grandes… Então vou ficando por aqui, deixando a calcinha de vocês do jeito que eu gosto… Peço pra minha Anja finalizar esta novela… Prometo gozar com ela da forma que ela descrever, tão logo seja possível.
Anja… Capricha, cachorra…
Anúncios

Sobre T.A.D.

T.A.D. É um personagem, que diz o que passa na cabeça de seu autor. Visite o blog mais vezes para tirar suas conclusões: http://migre.me/b2PzD
Esse post foi publicado em Acid Angel, Acid Angel, boquete, Conto, Contos Múltiplos, Minha autoria, Parceiria, Participação especial, Utopia. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Utopia… [Parte 3/4]

  1. T.A.D. disse:

    Hum… Se você está dizendo…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s